Segunda-feira, Setembro 21, 2009

Tudo girava (gira) em torno do casamento...

Parece meio antigo esse tema, mas é mais que atual... Nos últimos anos eu tenho notado que de 10 filmes americanos 7 são sobre o enlace matrimonial; tudo bem que as vertentes que englobam os longas são as mais variadas possíveis; mas a essência permanece retrada por elementos comuns em todos os roteiros(os filhos, a casa, o carro, o cachorro, a sogra).

Já perceberam que é difícil irmos ao cinema e não existir ao menos um longa em cartaz que não leve a palavra primária CASAR ou suas derivações? Será que só eu tenho notado isso?

Alguns filmes que eu sempre me lembro de bate pronto sobre o tema CASAR:

• O Pai da Noiva (Father of the Bride, 1991)
• Quatro Casamentos e um Funeral (Four Weddings and a Funeral, 1994)
• Pai da Noiva – Parte II (Father of the Bride Part II, 1995)
• O Casamento do Meu Melhor Amigo (My Best Friend’s Wedding, 1997)
• Noiva em Fuga (Runaway Bride, 1999)
• Procura-se uma Noiva (The Bachelor, EUA, 1999)
• O Casamento dos Meus Sonhos (The Wedding Planner, 2001)
• Casamento Grego (My Big Fat Greek Wedding, 2002)
• Recém-casados (Just Married, EUA, 2003)
• Cristina Quer Casar (Brasil, 2003)
• O Amor em cinco Tempos (François Ozon , 2004)
• O Casamento de Romeu & Julieta (Brasil, 2005)
• Separados Pelo Casamento (The Break-Up, 2006)
• Mamãe Quer Que Eu Case (Because I Said So, 2007)
• Licença para Casar (License To Wed, 2007)
• Jogo de Amor em Las Vegas (What Happens in Vegas, 2008)
• Vestida Para Casar (27 Dresses, 2008)
• Noivas em Guerra (Bride Wars, 2009)
• O Melhor Amigo da Noiva (Made of Honor, 2008)
• Se Beber, Não Case! (The Hangover, 2009)



Antigamente as moças eram preparadas desde o seu nascimento para o matrimônio, aprendiam a coser e a cozer, a lavar, passar, “crochetar”, etc, etc. e etc.

Hoje em dia nenhuma de nós é preparada para o casamento; é algo que nós colocamos em quarto ou terceiro plano (com sorte). Muitos devem estar pensando, é claro os tempos mudaram! Será mesmo? Tudo bem que hoje priorizamos acima de tudo a carreira; mas nenhuma mulher deixa de sonhar e querer o casamento. Quando estou com outras mulheres o tema mais forte é CASAR, ter CASA, ter FILHOS... ops, estes não eram os sonhos das nossas vovós? Pois é, nós não evoluímos tanto assim.

Quando penso nisso tudo que engloba o verbo CASAR, chego a conclusão que tudo isso é natural em nós mulheres, não há como escapar, pode soar horrível às feministas de plantão, mas a mulher não pode ignorar a sua essência, afinal somos “procriadoras”. Viemos ao mundo para dar a vida!

Deixando os filmes de lado um pouquinho; na série Sexy and the City a Carrie vive reclamando que não casou, não tem filhos e etc. Como pode uma mulher bem resolvida profissionalmente dar tanta importância para o CASAR. Porque sim, afinal ela é mulher, a típica mulher que se deu bem no trabalho e mal no amor!

Todo mundo lamenta quando uma relação acaba, e logo pensamos porque um relacionamento aparentemente feliz terminou, nós nunca nos perguntamos porque começou, mas só porque acabou?

Afinal qual o motivo de um relacionamento começar?

Alguém já viu UP – Altas Aventuras? Até esse desenho, é capaz de desenhar porque um relacionamento começa. Apesar de todo mundo achar que este filme é sobre um velhinho que decide amarrar balões na sua casa para viajar até a América do Sul... O filme é bem mais que isso.
Os cinco primeiros minutos resumem muitas vidas reais - a menina sapeca que conhece o menino curioso... apaixonam-se, casam-se e decidem ter um bebê... a menina não pode ter um bebê; os anos passam, eles são felizes ao modo dele... a menina fica doente e morre...- a história de casamento típica e nem tão feliz assim!

Ontem assistimos aos filmes: “A Verdade Nua e Crua” e “Se Beber, Não case”; deve ser por isso que escrevi tanta maluquice... têm coisas pegamos por osmose.


Quinta-feira, Agosto 20, 2009

Um pouco de tudo, um pouco de nada.

Nasci no inverno, talvez por isso eu goste tanto do frio, não só da temperatura, mas de tudo que envolve essa estação. As roupas, os calçados, as comidas (sopas bem quentes... fervendo), as duchas pelando, ou seja, TUDO no frio é melhor!
Gosto também de rotina. Há pessoas que adoram dias diferentes, lugares diferentes, experimentar cada dia uma emoção diferente; eu não sou assim. Se eu puder vou sempre aos mesmos restaurantes, mesmas salas de cinema etc... etc... e etc... A minha mesmice não para por aí! Nunca mudo os caminhos, mesmo naqueles dias em que o trânsito pede uma rota alternativa, lá estou eu enfrentando os encalços do medo de experimentar.
Um dia desses recebi um e-mail - o título era: “Onde vai parar o dinheiro das mulheres” – era uma apresentação em PowerPoint, as moedas andavam e no final formavam um scarpin. Pois bem, também um dia desses assistindo há mais um dos episódios de Sexy and the City a personagem da Carrie reclamava com Miranda por não saber onde o seu dinheiro tinha ido parar. Pobre Carrie teve que engolir a resposta seca e árdua da amiga... para ilustrar o assunto deu-se num cenário muito comum para Carrie numa mega loja de sapatos de todas as cores e grifes! Miranda mostra um lindo scarpin amarelo para a amiga que em segundos esquece-se dos seus problemas e de que não tem um tostão! Carrie desesperada pede mais de quatro pares ao atendente para experimentar, Miranda fica chocada. Há três segundo a amiga reclamava que não tinha casa, carro; e estava novamente “gastando” com aquilo que ela mais tinha. Numa tentativa de frear mais uma compra alucinada; Miranda pega o scapin amarelo e pergunta a Carrie quantos daquele ela tem, ela pestaneja um pouco e diz que mais ou menos uns 100 pares. Conclusão, Miranda multiplica US$ 400,00 * 100 e esfrega na cara da amiga são US$ 40.000,00 dólares, e ainda diz a amiga está aí a entrada do seu apartamento!
Isso não é mera coincidência.


Terça-feira, Junho 16, 2009



FELIZ ANIVERSÁRIO PARA MIM, de repente 29 anos...


Segunda-feira, Abril 06, 2009

"Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar."

[CLARICE LISPECTOR]


Quarta-feira, Março 18, 2009

“... A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade”.

[Carlos Drummond de Andrade]


Terça-feira, Março 10, 2009

Poema da Necessidade

É preciso casar João,
é preciso suportar Antônio,
é preciso odiar Melquíades,
é preciso substituir nós todos.

É preciso salvar o país,
é preciso crer em Deus,
é preciso pagar as dívidas,
é preciso comprar um rádio,
é preciso esquecer fulana.

É preciso estudar volapuque,
é preciso estar sempre bêbado,
é preciso ler Baudelaire,
é preciso colher as flores
de que rezam velhos autores.

É preciso viver com os homens,
é preciso não assassiná-los,
é preciso ter mãos pálidas
e anunciar o FIM DO MUNDO.


[Carlos Drummond de Andrade]


"Quem diz tudo o que quer dizer? A gente sempre escala sobre o mais importante - porque as palavras não são capazes de traduzir as nossas misérias." (Camila Morgado, em "A Casa das Sete Mulheres")


Segunda-feira, Março 02, 2009

Lacunas da vida

Na última quinta-feira assisti na TV o filme "Vivendo na Eternidade"; coincidência ou não; foi também nesse dia que perdemos subitamente o nosso amado cão "SERENO" - um pastor alemão charmoso, inteligente, sensível e mais humano que muitos seres humanos que conheço - de manhã ele estava bem, correndo e brincando... à tarde ele se foi. Depois de dez anos de convívio dói não tê-lo mais na porta esperando-me chegar a qualquer hora do dia ou da noite, não ouvir mais aqueles gritos estridentes e não ver mais aquele "xereta" gorducho me olhando com cara de pidão! Mais uma lacuna da vida.

... Então, o filme é sobre a eternidade, retrata a vida de quatro pessoas eternas; é fascinante, uma história que nos faz ficar pensando que tudo na vida tem o seu tempo certo. Tempo para nascer, aprender, viver, errar, namorar, etc.; etc.; etc.; e morrer.

Trechinho da fala do personagem: WILLIAN HURT

"(...) Não precisamos ter medo da morte, mas sim da vida não vivida".


Segunda-feira, Fevereiro 23, 2009

Justiça feita! "O Curioso Caso de Benjamin Button" ganhou apenas três prêmios secundários e Brad Pitt não levou a estatueta de melhor ator, ufa! Não entendo tantos elogios para uma interpretação caricata e forçada. Qualquer outro ator faria perfeitamente e até melhor. Fico satisfeita que a estatueta foi parar nas mãos certas, não há nada que não seja impecável no filme "Milk"; e isso se deve à belíssima e comovente interpretação do seu protagonista Sean Penn. Assistimos no shopping Frei Caneca; e foi emocionante presenciar a demonstração de gratidão a Harvey Milk, todos os homossexuais aplaudiram em pé o ativista que nos anos 70 lutou pelos direitos da classe, vale muito a pena assistir.

A meu ver essa ultima temporada de filmes americanos está surpreendendo, grandes filmes e novas maneiras de contar histórias já batidas; é o caso do "O Leitor" que aborda um assunto tão manjado sob um ponto de vista jamais tratado no cinema. É o ponto de vista daquele que torturou no holocausto e não o sofrimento do torturado. Achei muito interessante a reflexão proposta pelo longa; a vida de uma pessoa que tortura pode ser tão sofrida quanto a vida daquele que sofre a tortura. Redundante sim, como torturar sem sofrer? Claro que existem pessoas que não dão a mínima para o sofrimento alheio; e tratando-se de Holocausto é quase unânime o prazer dos torturadores! Para Hanna a personagem que rendeu à Kate Winslet o Oscar de melhor atriz; essa vivência deixou marcas para a vida toda.

" O grande mérito de O leitor é conseguir sintetizar na mesma trama muitas das questões que tocam universalmente nas feridas da alma humana: amor, carência, solidão, solidariedade, sexualidade, injustiças, sonhos, morte. (...)"

Vencedores do Oscar 2009

Abaixo, os vencedores:

FILME l Quem Quer Ser um Milionário?, Christian Colson

DIREÇÃO l Quem Quer Ser um Milionário?, Danny Boyle

ATOR l Sean Penn, Milk - A Voz da Igualdade

ATRIZ l Kate Winslet, O Leitor

ATOR COADJUVANTE l Heath Ledger, O Cavaleiro das Trevas

ATRIZ COADJUVANTE l Penélope Cruz, Vicky Cristina Barcelona

ROTEIRO ORIGINAL l Milk - A Voz da Igualdade, Dustin Lance Black

ROTEIRO ADAPTADO l Quem Quer Ser um Milionário?, Simon Beaufoy

FILME ESTRANGEIRO l Departures, Japão

ANIMAÇÃO l WALL-E, Andrew Stanton

DOCUMENTÁRIO l Man On Wire, James Marsh

FOTOGRAFIA l Quem Quer Ser um Milionário?, Anthony Dod Mantle

MONTAGEM l Quem Quer Ser um Milionário?, Chris Dickens

DIREÇÃO DE ARTE l O Curioso Caso de Benjamin Button, Donald Graham Burt e Victor J. Zolfo

FIGURINO l A Duquesa, Michael O’Connor

MAQUIAGEM l O Curioso Caso de Benjamin Button, Greg Cannom

TRILHA ORIGINAL l Quem Quer Ser um Milionário?, A.R. Rahman

CANÇÃO ORIGINAL l “Jai Ho”, Quem Quer Ser um Milionário? (A.R. Rahman, Gulzar)

EFEITOS VISUAIS l O Curioso Caso de Benjamin Button, Eric Barba, Steve Preeg, Burt Dalton, Craig Barron

EDIÇÃO DE SOM l O Cavaleiro das Trevas, Richard King

MIXAGEM DE SOM l Quem Quer Ser um Milionário?, Ian Tapp, Richard Pryke, Resul Pookutty

CURTA-METRAGEM l Spielzeugland (Toyland), Jochen Alexander Freydank

CURTA DE ANIMAÇÃO l Le Maison en Petits Cubes, Kunio Kato

DOCUMENTÁRIO CURTA l Smile Pinki, Megan Mylan



Terça-feira, Fevereiro 10, 2009

Seguem 2 pecados mortais do namoro, casamento e afins, para mim os mais importantes. Original do site Zenhabits

1 - Resentment. This is a poison that starts as something small (”He didn’t get a new roll of toilet paper” or “She doesn’t wash her dishes after she eats”) and builds up into something big. Resentment is dangerous because it often flies under our radar, so that we don’t even notice we have the resentment, and our partner doesn’t realize that there’s anything wrong. If you ever notice yourself having resentment, you need to address this immediately, before it gets worse. Cut it off while it’s small. There are two good ways to deal with resentment: 1) breathe, and just let it go — accept your partner for who she/he is, faults and all; none of us is perfect; or 2) talk to your partner about it if you cannot accept it, and try to come up with a solution that works for both of you (not just for you); try to talk to them in a non-confrontational way, but in a way that expresses how you feel without being accusatory.

2 - Unrealistic expectations. Often we have an idea of what our partner should be like. We might expect them to clean up after themselves, to be considerate, to always think of us first, to surprise us, to support us, to always have a smile, to work hard and not be lazy. Not necessarily these expectations, but almost always we have expectations of our partner. Having some expectations is fine — we should expect our partner to be faithful, for example. But sometimes, without realizing it ourselves, we have expectations that are too high to meet. Our partner isn’t perfect — no one is. We can’t expect them to be cheerful and loving every minute of the day — everyone has their moods. We can’t expect them to always think of us, as they will obviously think of themselves or others sometimes too. We can’t expect them to be exactly as we are, as everyone is different. High expectations lead to disappointment and frustration, especially if we do not communicate these expectations. How can we expect our partner to meet these expectations if they don’t know about them? The remedy is to lower your expectations — allow your partner to be himself/herself, and accept and love them for that. What basic expectations we do have, we must communicate clearly.


Abaixo tradução que emprestei do Expressões Letradas:

1. Ressentimento.
Esse é um veneno que começa pequeno (”Ele não substitui o rolo de papel higiênico” ou “Ela não lava o prato depois de comer”) e vai crescendo até ficar enorme. Ressentimento é perigoso porque geralmente fica abaixo do nosso radar, de modo que não percebemos que estamos ressentidos, e nosso parceiro não entende que há algo errado. Se você já se pegou tendo ressentimento, precisa endereçá-lo rapidamente, antes que fique pior. Corte-o pela raiz enquanto ainda é pequeno. Há duas boas maneiras de lidar com ressentimento. A primeira: respire fundo e simplesmente deixe o sentimento ir embora - aceite seu parceiro como ele é, incluindo as falhas (ninguém é perfeito). A segunda: fale com seu parceiro sobre isso, se não dá para aceitar, e tente vir com uma solução que funcione para ambos (não só para você). Tente falar sem confrontar e sim de um jeito que expresse como você se sente sem ser acusatório.

2. Expectativas não realistas.
Frequentemente nós temos uma idéia de como nosso parceiro deveria ser. Nós esperamos que sejam limpos, ponderados, que sempre pensem na gente primeiro, que nos surpreenda, nos suporte, que sejam sempre sorridentes, que trabalhem duro e não sejam preguiçosos. Não necessariamente essas expectativas, mas quase sempre temos expectativas para nossos parceiros. Ter alguma expectativa é bom - nós deveríamos esperar que nosso parceiro seja confiável, por exemplo. Mas alguma vezes, sem perceber, nós criamos expectativas muito altas para acontecer. Nosso parceiro não é perfeito - ninguém é. Não podemos esperar que eles sejam carinhosos e amorosos a cada minuto de cada dia - todo mundo muda de humor. Não podemos esperar que eles sempre pensem na gente, já que eles obviamente vão também pensar neles ou em outros alguma hora. Não podemos esperar que eles sejam exatamente como nós somos, já que cada um é cada um. Expectativas muito altas levam a desapontamento e frustração, especialmente se não comunicamos ao outro essa expectativa. Como podemos esperar que nosso parceiro atinja essas expectativas se eles nem sabem sobre elas? O remédio é baixar nossas expectativas - deixar nossos parceiros serem eles mesmos, e aceitá-los e amá-los por isso. As expectativas básicas que nós mantivermos devem ser comunicadas claramente.


Domingo, Fevereiro 08, 2009

Sem divulgação, quem sabe assim acontece.

Quantas vezes ouvi e ainda ouço da minha mãe para não contar a terceiros o que está iminente. Claro que quando criança isso nada significa, o que eu mais queria era realmente exibir-me, isso de dizer que eu queria compartilhar com o outro nem passava pela minha mente, se é que isso passa pela cabeça de alguma criaturinha de cinco anos.

Claro que com o tempo, você começa a entender o que a sua sábia mãe queria lhe ensinar e até a dar razão para ela; mais isso pode levar uns 20 anos.Ainda hoje me pego contando coisas demais da minha vida para estranhos, logo a ficha cai e lembro de passar um zíper nos lábios.

Em “Foi apenas um sonho”, o belo e jovem casal não poupou esforços para dividir as novidades entre os poucos “amigos” e colegas de trabalho. Claro que não é todo dia que tomamos a decisão de deixar a vida estável e um país para buscarmos sentido para a vida em “Paris”.

A nossa alegria não é a alegria dos outros, isso fica claro para mim dia após dia. As pessoas têm mais prazer em assistir “Cidade Alerta” que qualquer outra coisa. Porque o “Gil Gomes” até hoje é adorado e um dos radialistas de maior sucesso? Não é pela divulgação de casos de amor e sim das desgraças cotidianas que assombram a população. Não é preciso nem ir muito longe na história da televisão brasileira; um dos programas de maior repercussão dos anos 90 foi o “Programa do Ratinho”; quem nunca viu? Antes desse tinha o “Aqui Agora”, tinha coisa mais sensacionalista?

Saber que a moça mais bonita da cidadezinha iria com o marido e o casal de filhos para a França, fez com que a “amiga” ficasse aos prantos. E não foram prantos de saudade, sim de inveja!

Pobre casal, tanta divulgação da nova vida, que não passou de planos e mais planos. Vejam o longa, não pelos clichês americanos e sim pela mensagem; se bem que, acredito que poucos tenham percebido que o intuito do roteiro não era tratar do sonho; e sim da incapacidade de acreditarmos que um sonho pode dar certo mesmo sem compartilharmos.

Detalhes do filme aqui.


Acho que pode interessar

Nome: Macabéa


Por Que Lua?

Tenho fases, como a lua Fases de andar escondida, fases de vir para a rua... Perdição da minha vida! Perdição da vida minha! Tenho fases de ser tua, tenho outras de ser sozinha

Fases que vão e que vêm, no secreto calendário que um astrólogo arbitrário inventou para meu uso.

E roda a melancolia seu interminável fuso! Não me encontro com ninguém (tenho fases, como a lua...) No dia de alguém ser meu não é dia de eu ser sua... E, quando chega esse dia, o outro desapareceu...

[ Lua Adversa - Cecília Meireles ]

Olha, o amor pulou o muro o amor subiu na árvore em tempo de se estrepar. Pronto, o amor se estrepou. Daqui estou vendo o sangue que escorre do corpo andrógino. Essa ferida, meu bem, às vezes não sara nunca, às vezes sara amanhã.
[ Drummond ]


Só é possível filosofar em alemão!
Pode-se prometer atos, mas não sentimentos; pois estes são involuntários. Quem promete a alguém amá-lo sempre, ou sempre odiá-lo ou ser-lhe sempre fiel, promete algo que não está em seu poder; mas ele pode prometer atos que normalmente são conseqüência do amor, do ódio, da fidelidade, mas também podem nascer de outros motivos: pois caminhos e motivos diversos conduzem a um ato. A promessa de sempre amar alguém significa, portanto: enquanto eu te amar, demonstrarei com atos o meu amor; se eu não mais te amar, continuarei praticando esses mesmos atos, ainda que por outros motivos: de modo que na cabeça de nossos semelhantes permanece a ilusão de que o amor é imutável e sempre o mesmo. Portanto, prometemos a continuidade da aparência do amor quando, se cegar a nós mesmos, juramos a alguém amor eterno.
[ Friedrich Nietzsche ]


"Quem não tem namorado, é alguém que tirou férias remuneradas de si mesmo. Namorado é a mais difícil das conquistas."
[ Drummond ou Arthur da Távola, ou quem sabe??? São essas as sugestões que andam aparecendo nos comentários, quem me apresentou à poesia, atribuiu créditos ao Drummond, mas??? ]


"As coisas melhores e mais belas do mundo não podem ser vistas nem tocadas. Elas têm que ser sentidas com o coração."
[Helen Keller ]


"No amor, quando o silêncio fala, tem muito a dizer."
[ Richard Garnett ]


"Se fôssemos meramente capazes de pensar com a mesma intensidade com que amamos, faríamos coisas imensas."
[ P.J. Bailey ]


"Escrever é procurar entender, é procurar reproduzir o irreprodúzivel, é sentir até o último fim o sentimento que permaneceria apenas vago e sufocador. Escrever é também abençoar uma vida que não foi abençoada."
[Clarice Lispector]


"Suponho que me entender nao é uma questao de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato."
[Clarice Lispector]


"O mundo inteiro teme a própria vida. A morte é coisa que não é nossa. Mas a vida, a vida é, e eu morro de medo de respirar."
[ Clarice Lispector ]


"Tu te tornas eternamente responsável por tudo aquilo
que cativas".
[ Antoine de Saint-Exupéry ]


"Quando as coisas não parecem estar indo do jeito que quero, eu me livro da fixação que tenho por como acho que elas devem ser, confiando no fato de que não estou vendo a situação como um todo.
Se eu a conhecesse, entenderia que há um motivo para que as coisas desenrolem do jeito que tem que ser, e que o cosmo tem um plano pra mim que é muito maior
do que qualquer coisa que eu
possa ter concebido !"
[ Mensagem que uma amiga
me enviou ]



AMO: Amo beijar, comer chocolate, teclar, ler e dormir
ODEIO: Acordar cedo e ser acordada, isso me irrita


Cinema: Ah! eu amo, adoro de paixão os clássicos...
No Amor: Casablanca, Tarde Demais Pra Esquecer, Suplício de Uma Saudade, A Amante Do Rei, Anna Karenina
Desenhos: Pinóquio, A Bela e a Fera, A Era do Gelo, O Rei Leão, Peter Pan, Bernado e Bianca
Inesquecíveis: Perfume De Mulher, ...E O Vento Levou, À Espera De Um Milagre


Livro de Cabeceira:
O Pequeno Príncipe
Escritoras:
Clarice Lispector, Cecília Meireles
Escritores:
Antoine de Saint-Exupéry, Drummond, Mário Quintana


Formação Superior:
Letras - Língua Inglesa

Fale com Macabéa


BLOGS PRA TODAS AS ESTAÇÕES

Ártemis
A Contadora de Histórias
Afrodite
A Menina no Espelho
Amélia Moderna
Ana Gonzalez
Belas Coisas Simples
Carolina Porto
Casal Sentimento Puro
Cenas
Confissões
Confissões do Meu Ser
Diário de Zeist
Estações
Expressões Letradas
Foi Engano
História de Vida
Homem Objeto
Interlóquio
Ipsislitteris
Joyce Prado
Lemniscata
Macacos no Sótão
Meu Pequeno Mundo
Melodia Infinita
Menina Marota
Mulheres e Deusas
Multifacetado
Nakedness
Palavras Tortas
Pensamentos Imperfeitos
Piada Interna
Post Scriptum
Puzzlehearts
Retalhos do Tempo
Savoir Faire
Senhorita D
Serial Kisser
Sub Rosa
Tabuleiro
Tem Poemas
The Chatterbox
Um e Noventa e Nove
Vadiando
Viajante
Vida de Solteira

MAIS BLOGS

A Bela Da Noite
Agência Gotcha
Alguém com L
Anjinha
A Poetiza
Babalu Morango
Brasil Never More
Brothers Love
Bdbrasil
Brigows
Diário de uma tagarela
Metamorfose Pensante
Vivie e Paulinha
Walkinglife
Menina De Papel
Mushroomholic
Inércia
Pitombaz
Larissinha
Thalia e Zilda
Pérala
Parriot
Dei Mole
Laranjada Mecânica
Menina Atômica
Ingrid Babi
Shame Hall
Pétala
Malandrinha Loka
Mari Loke
Teatro Da Mente
Littleline
Post Scriptum
Flor De Maio
Six
Veneza Babi
Luedu
Anima
Polivox
98 Porcentos Subliminar
Fernandaka
Devassa News
Lua Adversa
Kiki Walker
Loves Labours Lost
Beingsoapbubble
Nem Sim Nem NãoL
Kittyss
Lágrimas Da Alma
Roteiro Da Vida
Edaz do conhecimento - Devorador de mentes
2706
Luluonthesky2
Larinha Carter
Ponto e Parágrafo
Felicidademil
Lafi llemigraine
Camilla Flores
Contos do Abreu
Meu Emagrecimento
Miss Simpátia
Cada um dá o que tem
Pedra Brasileira
As figuninhas que conheço
Esquizophrenia
Semprequechove
Vidadequemsonha
Love Metal
Rumo a Atenas





ARQUIVOS


CRÉDITOS


on-line

Agradecimento em Especial pela template: Débora Bottcher